As consequências sociais documentadas por Pete Muller


Pete Muller é um fotógrafo sul africano que trabalha com o objetivo de documentar as consequências individuais da guerra, pobreza e agitações sociais. Além dos cliques, ele também é produtor multimídia onde já fotografou e criou diveros materiais em países com questões sociais agravadas, como o Sudão, República Democrática do Congo, Quênia, Mali, Afeganistão, Territórios Palestinos, Somália e África do Sul.

 

Seu objetivo é ilustrar as questões mais amplas através de histórias individuais que exigem consideração pela vida dos povos representados. Pete mora na cidade de Nairobi, no Quênia, sendo contribuinte da National Geographic Magazine, TIME Magazine, Washington Post, New York Times, entre outros. Membro do coletivo de fotógrafos “Prime Collective”, o sul africano também se associou a campanhas de advocacia humanitária com a UNICEF, Anistia Internacional, Iniciativa das Mulheres, Nobel e outras organizações.

 

“Um menino vagueia através de um campo de arroz perto da vila na cidade de Dia, Serra Leoa. Local fortemente afetado pelo surto de Ebola na África Ocidental com muitos de seus casos encontrados em áreas rurais.” (Foto para o Washington Post, 2014)

 

“Os membros de uma equipe de enterro da Cruz Vermelha levam amostras de uma mulher suspeita de morrer de Ebola na vila da cidade de Dia. Os chamados “enterros seguros”, conduzidos pela Federação Internacional da Cruz Vermelha, são conduzidos de acordo com rigorosos procedimentos de segurança. Os cadáveres das vítimas do Ebola são extremamente infecciosos.” (Foto para o Washington Post, 2014)
“Moradores da vila de Sengema, Serra Leoa se reúnem dentro de sala escolar para assistir trabalhadores da Cruz Vermelha preparar o corpo de um suspeito caso de Ebola.” (Foto para o Washington Post, 2014)
“Jovens choram com o corpo de uma vítima suspeita de Ebola que é removido por trabalhadores da Cruz Vermelha na vila de Dia, leste da Serra Leoa. Familiares e membros da comunidade são encorajados a não tocar em corpos daqueles que podem ter morrido do vírus onde carrega um risco elevado da infecção.” (Foto para Washington Post, 2014)
“Os moradores da cidade de Kailahun se reúnem ao longo de um rio. O distrito no leste da Serra Leoa, foi o mais afetado pelo surto de Ebola. A escola na cidade foi suspendida e os residentes vivem no medo.” (Para Washington Post, 2014)

 

Acredito que fotografias íntimas e sensíveis deixam marcas inapagáveis na consciência, despertando a vontade de se posicionar para a eliminação do sofrimento humano.”

 

As forças congolesas disparam lança-míssil em direção as posições rebeldes do grupo M-23 ao norte da cidade de Goma.
Soldados congoleses retornando da linha de frente para a cidade de Kibumba.
“Sido Bizinungu, um colaborador próximo do tenente-coronel Kebibi, fuma um cigarro durante uma pausa nas sessões. De todos os soldados, Sido me pareceu o mais perturbado e perigoso. Enquanto outros soldados começavam a perceber que seu destino era sombrio, Sido permaneceu desafiadoramente indiferente. No início do julgamento, ele tentou esmagar minha câmera.”
Uma vítima da campanha de massacre de Kebibi na cidade de Fizi. A sua identidade foi escondida por razões de segurança e porque o estupro tem um forte estigma social no Congo. Com dezenas de soldados Kebibi ainda dentro de Fizi e numerosas milícias nas colinas circundantes, as mulheres vivem em um estado constante de medo. “Se vamos para os campos, somos estupradas. Se levarmos nossos produtos para vender nos mercados, seremos estupradas. Há perigo em toda parte para as mulheres “, explicou uma sobrevivente. Esta imagem é uma de uma série de retratos similares das vítimas de estupros de Fizi.
“Uma vítima de estupro em massa e seu filho na cidade de Fizi. Seu filho sofreu uma ferida na cabeça quando os soldados o jogaram no chão antes de estuprar e espancar a mãe. Depois de posar para um retrato por conta própria, esta mulher insistiu que eu fotografasse seu filho. Parecia mais preocupada com o sofrimento dele, em vez do seu.”


* Todas as fotos e informações foram retiradas da página oficial do próprio autor. Para conhecer muito mais do trabalho de Pete Muller, acesse seu site oficial.

\\ Outras Referências: World Press Photo, Prime Collective.








Você também poderá gostar: